• Cofen

Valorização da Enfermagem marca abertura do 24º CBCENF

Ministros prestigiaram o maior evento de Enfermagem das Américas

Com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Cristiane Brito, presidentes de ordens de Enfermagem de diversos países e de outros conselhos profissionais da Saúde, a presidente do Cofen, Betânia Santos, declarou aberto, nesta noite (12/9), o maior congresso de Enfermagem das Américas.

Com 38 mil inscritos, o 24º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (24º CBCENF) acontece no Centro de Convenções do Ceará e tem transmissão ao vivo na multiplataforma CofenPlay.

Ao som da sanfona de Waldonys, a entrada da delegação do Coren-CE levantou o auditório. Betânia Santos destacou a riqueza cultural e vanguarda política do estado anfitrião, que aboliu a escravatura quatro anos antes do resto do Brasil, e de Fortaleza, “primeira a reconhecer nas urnas o valor de uma mulher como liderança política”.

O 24º CBCENF acontece em um momento histórico para a profissão, de valorização e reconhecimento, com a aprovação da Lei do Piso Salarial, fruto de ampla mobilização e diálogo. E também de muita apreensão, com a liminar que suspendeu, por 60 dias, a aplicabilidade da lei, frente à pressão das entidades patronais. “A Enfermagem está em luta e assim permanecerá”, afirmou a presidente, que pediu uma salva de palmas ao Congresso Nacional e os dirigentes dos Conselhos Regionais, pela união na luta pelo piso. “Venceremos mais essa batalha contra o ativismo judicial do STF”.

“Eu tive um sonho, meu sonho era poder testemunhar a Enfermagem sendo ouvida pelos políticos e podendo ser considerada em todas as políticas públicas da saúde”, afirmou Betânia. “Meu sonho, acredito, é também um sonho da Enfermagem brasileira. E quando sonhamos juntos, nossos sonhos podem tornar-se realidade”, finalizou, sob aplausos.

A presidente interina do Coren-CE, Ana Paula Lemos, destacou a alegria em receber o CBCENF e a necessidade de avanços para a profissão. “Como disse Raimundo Fagner aqui cantado pelo nossa talentoso Waldonys, ‘vamos pra frente que pra trás não dá mais’”.

A ministra Cristiane Brito destacou a importância da profissão e seu papel na rede de proteção a crianças, mulheres e idosos. “É claro que, para além da comunidade científica, todos somos impactados pelo trabalho de vocês”, afirmou a ministra.

“Se eu cheguei à posição de maior autoridade sanitária neste país, eu devo às enfermeiras que trabalharam comigo”, destacou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. “Vocês devem se orgulhar muito da profissão que vocês têm. Tem sido muito importante para a Saúde Pública em geral – e não só durante a pandemia de covid”.

Além dos ministros, a abertura contou com a presença de políticos, do reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Valdiney Gouveia, da presidente do Conselho Federal de Psicologia, Ana Sandra Arcoverde, representantes de sindicatos, conselhos de Saúde e de universidades, incluindo a de Ruen, na França.

Representando a Câmara Municipal de Fortaleza, a vereadora Ana Paula Brandão entregou à presidente do Cofen a medalha Periguary de Medeiros. Durante a cerimônia foram homenageados pelo Cofen o enfermeiro Diogo do Casal, o diretor do hospital Sofia Feldman Ivo Lopes, o ministro Marcelo Queiroga, os senadores Rodrigo Pacheco, Fabiano Contarato, Vital do Rêgo, Zenaide Maia, Kátia Abreu e os deputados Arthur Lira, Carmen Zanoto, Alice Portugal, Jandira Feghali, Alexandre Padilha, Mauro Nazif, Arthur Maia e Túlio Gadelha.

Durante o CBCENF, serão apresentados 1784 trabalhos. As atividades somam 23 cursos, 39 mesas redondas e três palestras, além de lançamento de livros. O congresso será, ainda, anfitrião de encontros e eventos, incluindo o V Encontro Latino-Americano de Enfermagem em Saúde Mental.

1 visualização0 comentário