Coren-AL realiza capacitação sobre Acolhimento com classificação de risco pelo protocolo Manchester

O curso aconteceu na última segunda-feira (14) e foi ministrado por Wbiratan Souza

O Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas (Coren-AL) realizou, na última segunda-feira (14), uma capacitação sobre Acolhimento com classificação de risco pelo protocolo Manchester, no auditório da sede, para os profissionais de enfermagem das UPAs do Jacintinho, do Jaraguá e da Cidade Universitária. O curso foi ministrado pelo presidente da Comissão de Câmaras Técnicas (CTs), Wbiratan Souza.


A classificação de risco é um processo dinâmico de identificação dos usuários que necessitam de tratamento imediato, de acordo com o potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento. Esse procedimento tem alguns objetivos como humanizar e personalizar o atendimento, determinar a área de atendimento primário e reduzir o tempo para o atendimento, fazendo com que o usuário seja visto precocemente de acordo com a sua gravidade.


O protocolo de Manchester seleciona os pacientes com maior prioridade e funciona sem fazer quaisquer presunções sobre o diagnóstico médico, uma vez que os atendimentos nos serviços de urgência são, na sua maioria, orientados pelos sinais e sintomas apresentados pelos pacientes.


Segundo Wbiratan Souza, o enfermeiro é responsável por essa classificação e ele possui até três minutos para isso, já o médico tem papel fundamental na triagem. “Os enfermeiros classificam o risco de acordo com o nível de prioridade clínica que o paciente apresenta, seja uma urgência clínica, traumática, psiquiátrica, obstétrica ou pediátrica”, explica o enfermeiro.


Para o presidente do Coren Alagoas, Renné Costa, a capacitação ocorre de acordo com as prerrogativas do Conselho Federal de Enfermagem. “O objetivo é estimular os profissionais de enfermagem a compreenderem as suas responsabilidades desde o acolhimento até a classificação de risco”, ressalta o presidente.


1 visualização0 comentário